domingo, 25 de dezembro de 2011

Dançando com a lua





Dance e cante sob a lua cheia e logo descobrirá um outro ser dentro de você. A lua trará sua essência à tona, basta que você esteja consciente.

Dançar em noites de lua cheia é uma das melhores meditações. Sem intenções ou objetivos específicos, simplesmente dance com a lua. Você ficará mais vulnerável, mais aberto, e, se de fato se deixar envolver,você desaparecerá, sobrando apenas a dança em si.

Nesse momento, a lua penetrará em seu coração, com seus raios atingindo o centro de seu ser. Você descobrirá que cada noite de lua cheia pode transformar-se em um momento marcante de sua vida.

Osho, em "Uma Farmácia para a Alma"

Das coisas simples....

Menino chorando ao receber presente
Foto: Joselita Matos






Andando na praça, olhando os enfeites natalinos, as casinhas do Doce e do Noel, pude ver o quanto mudou de um ano para cá na minha vida. Daquela semana véspera de Natal para esta...

Naquele ano, passava por uma angústia e tive um amigo especial que esteve ao meu lado. Todas as noites na praça conversávamos bastante, falávamos sobre os nossos problemas, sobre as nossas vidas, nossas anseios, perspectivas, passado e futuro...

Através dele, pude perceber as coisas simples da vida, o olhar e o sorriso de uma criança ao receber um presente de um estranho, ou até mesmo do bom velhinho...Ele me fez abrir os olhos...

Os nossos melhores momentos são aqueles vividos em ações que nos doamos ao outro...

Hoje, Natal, dia em que Jesus nasceu e que todos os anos celebramos a sua chegada, depois de um ano transcorrido, pude perceber claramente isto.

Lá estava eu, sentada na garupa de um triciclo, em plena tarde de um domingo de Natal, acompanhando e fotografando a entrega de presentes feita por um motogrupo da minha cidade. Mesmo com uma parada forçada, de mais de uma hora, por causa da chuva, e depois continuando a entrega com chuvisco, me senti livre, alegre, feliz...

Mesmo não fazendo parte diretamente do motogrupo, senti-me confortada, agasalhada, integrante do todo....e mais feliz ainda ao ver um sorriso, um acenar de mãos e a criançada dizendo: Olha é o Papai Noel!!!! (aquela cara de espanto ao ver o bom velhinho em um triciclo)...

Uma tarde chuvosa mas quente no coração de quem estava ali...

Sim, um ano de mudanças, amadurecimento, paixões, amor, felicidade, merecimento, sofrimento, lágrimas e, acima de tudo, DOAÇÃO...pois quem ama, doa e sente-se completo...

“..e por isso vivo,
Obrigado Senhor
Por um novo dia...”



JD Matos – 25/12/2011 – 23h48

Aprendi...





Aprendi muita coisa nos últimos dias, meses...neste ano..como aprendi...

Aprendi que ser não é estar

Aprendi que para amar, tem que se doar e ao mesmo tempo deixar o outro livre, ser livre, para sempre voltar

Aprendi que nós mudamos com o tempo, mesmo que não queremos

Aprendi que paixões são passageiras, mas sempre fica um rastro em seu corpo que é para sempre

Aprendi que as amizades são amizades em tons e cores diferentes

Aprendi que vivemos sempre no presente, mas o passado sempre vem e muda um pouquinho do nosso futuro

Aprendi que pele, cheiro, química nos leva a qualquer lugar do mundo, basta sentir

Aprendi que a humildade é a coisa mais preciosa em nosso caráter

Aprendi que nada nesse mundo vai tirar de nós aquilo que vivemos em um segundo...

Aprendi que AMAR não basta estar presente, tem que sentir apenas..

Ahhh...como aprendi....


JD Matos – 25/12/2011 – 23h05

domingo, 13 de novembro de 2011

Ao mesmo tempo



Ao mesmo tempo você é minha paciência e minha impaciência
Ao mesmo tempo você é meu céu e o meu chão
Ao mesmo tempo você é o meu sono e a minha insônia
Ao mesmo tempo você é a minha paz e a minha tempestade
Ao mesmo tempo você é o meu tudo e o meu nada
Minha paixão
Meu amigo
Meu confidente
Minhas vontades
Meus desejos...


JDM – 11/11/11 – 10h27

sábado, 29 de outubro de 2011

Salvei uma vida...




É estranho como as coisas acontecem nas nossas vidas. Hoje salvei uma vida. Vocês devem estar imaginando: nossa, ela salvou a vida de uma pessoa. Mas o mais curioso é que salvei a vida de um gato.

Hoje acordei com vontade de dormir mais um pouco, mesmo sabendo que já tinha passado do horário normal de sair da cama. Um dia desses que você quer ficar na cama o dia inteiro. Mesmo assim, levantei. Fui tomar café e escutei um miado de um gato, pensei: “Alguma gata teve filhotes aqui por perto”.

Fui olhar de onde estava saindo aquele miado, quase que pedindo por socorro. Achei e qual foi minha surpresa. Tinha um gato entre o muro e a parede. O espaço entre a parede e o muro não era mais do que 10 centímetros e a parte de cima do muro estava fechada com tijolos, nas laterais foi colocada argamassa. Como aquele gato entrou ali, não sei. Só tinha dois buracos no muro que estavam longe do lugar de onde estava miando.

Terminei de tomar o meu café. Não tinha como deixar aquele gato ali, miando até morrer. Ficaria com um peso na consciência. Não seria humana.

Tentei por várias vezes enfiar a mão, mas não conseguia nem ver o gato, qual a posição correta de onde ele estava, tudo era escuro lá dentro. A minha única alternativa era pular o muro, entrar no quintal do vizinho.

Lá vou eu, pulei o muro. Fui até o ponto de onde saía os miados. Mas como tirar? Tinha um buraco no muro, mas era um pouco longe do local onde ele poderia estar. Tentei abrir outro com um pedaço de madeira, de tronco de árvore mesmo (pequeno), mas nada. Ajoelhei, chamava o gato e o gato respondia cansado.

Olhei ao redor e nada. Olhei para os meus joelhos, já machucados e vi uma solução. A pedra que estava debaixo dos meus joelhos era a única saída. Não era grande, mas pesada o suficiente para abrir outro buraco no muro. Comecei a bater, abri uma fenda; bati novamente, um buraco pequeno abriu-se. Fui com a mão. O buraco ficou maior ainda. E chamei novamente pelo gato.

Mas percebei que entre ele e o pedaço do muro que abri, tinha uma coluna, não dava para puxá-lo. Então fui pelo outro lado e comecei a bater no muro novamente com a pedra. Consegui abrir outro buraco e consegui ver o rabo do bichano. Então fui com as mãos e peguei nas costas dele. O gato parecei desesperado de dor, pois miou tão forte como se estivesse querendo fugir daquela mão.

Nesta minha loucura, respondi apenas para o gato: “está doendo mais em mim do que em você”. Consegui puxar pelo couro das costas, devagar. E no final, tirei ele daquele buraco.
O gato era branco, mas estava tão magro e sujo. Mesmo assim, saiu correndo, nem sequer parou.

Esperar que o gato me agradecesse pelo que fiz por ele. Por conseguir mais uma vida das sete vidas que ele tem. Não me passou pela cabeça isto. Apenas chorei em saber que salvei uma vida, mesmo sendo de um animal, de um gato.

Resultado disto tudo: um muro quebrado em dois lugares, meus pés e joelhos esfolados, braços cansados pelo esforço e um sorriso misturado com lágrimas.

O mais engraçado quando já estava indo pular novamente o muro para voltar ao meu cantinho, um rapaz no portão me chamou, perguntando se era conhecida do dono da casa. Respondi: moço pulei o muro para tirar um gato que estava preso. Sabe o que o rapaz respondeu-me? Disse apenas: mas o portão sempre fica aberto e ele abriu o portão pra mim. Não sabia se sorria ou se chorava.

Este foi um sábado diferente de todos e vou me lembrar para o resto da minha vida.
Só tenho na mente várias perguntas: como aquele gato conseguiu entrar naquele espaço tão pequeno? Como conseguir tirar ele de lá?


JDM - 29/10/2011 - 13h30

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Sorriso

Crédito: Joselita Matos

Nada melhor que um sorriso nos olhos
A alegria nos lábios
E congelar este momento no tempo e no espaço....

Meus passos





Por onde andei..
Por onde andarei..
Sigo os passos do meu caminho
Sejam tortuosos ou íngremes
Sejam planos ou retos
Mas sigo até alcançar VOCÊ..



JDM - 28/10/2011 - 22h40

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O sabor de uma lágrima




Você sabe realmente o sabor que tem uma lágrima?
Se disse salgada, errou
Ela tem o sabor da saudade
da dor
da alegria
de um amor perdido
de um novo amor
de um reencontro
Ela tem o sabor da VIDA...


E as minhas lágrimas tem o sabor de um oceano de distância....


JDM - 25/10/2011

segunda-feira, 22 de agosto de 2011




“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, 
não precisa temer o resultado de cem batalhas.
Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, 
para cada vitória ganha também sofrerá derrota.
Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, 
perderá todas as batalhas...”.

Sun Tzu, século VI aC



“Para preservar a confiabilidade do jornalismo como processo e linguagem, é preciso que os jornalistas se comportem como tal, qualquer seja o lugar ou a instância em que atuem. Quem está nas redações, que faça aflorar os conflitos que interessam à construção da democracia. Quem atua nas fontes, que assuma a responsabilidade de interface honesta e criativa entre quem produz os fatos e quem, pelo relato e pelo comentário, lhes deve dar dimensão e significação social.”



(Manuel Carlos Chaparro)



“Assim como a árvore está na semente, os fins estão nos meios.
Se cuidamos dos meios, o fim cuidará de si mesmo.
Sempre temos controle sobre os meios, nunca sobre os fins.
É impossível atingir-se fins nobres por meios condenáveis.”


(Gandhi)

sábado, 20 de agosto de 2011

How Can I Tell You?



How Can I Tell You

How can I tell you that I love you... I love you
But I can't think of right words to say
and I long to tell you that I'm always thinking of you
I'm always thinking of you
but my words just blow away
just blow away

always ends up to one thing honey
and I can't think of right words to say

Wherever I'm girl, I'm always walking with you
I'm always walking with you
but I look and you're not there
whomever I'm with, I'm always always talking to you
I'm always talking to you
and I'm sad that you can't hear
sad that you can't hear

it always ends up to one thing honey
when I look and you're not there

I mean to know you
you to feel my arms around you, feel my arms around you
like sea around the shore
each night and day I pray
and hope that I might find you
and hope that I might find you
because hearts can do no more

it always ends up to one thing honey
still I'm kneeling on the floor

how can I tell you that I love you... I love you
but I can't think of what's right to say
I long to tell you that I'm always thinking of you
I'm alwyas thinking of you

it alwyas ends up to one thing honey
and I can't think of right words to say



Como eu posso te dizer?

Como eu posso te dizer que eu te amo? eu te amo
Mas eu não consigo pensar nas palavras certas pra dizer
e eu quero te dizer que eu estou sempre pensando em você
Estou sempre pensando em você
mas as minhas palavras apenas sopram pra longe
apenas sopram pra longe

Sempre acaba em uma coisa, querida
E eu não consigo pensar nas palavras certas pra dizer

Onde quer que eu esteja garota, Estou sempre andando com você
Estou sempre andando com você
mas eu olho e você não está lá
Com quem quer que eu esteja, estou sempre falando com você
Estou sempre falando com você
E fico triste que você não possa ouvir
Triste que você não possa ouvir

Isso sempre acaba em uma coisa, querida
Quando eu olho e você não está lá

Eu pretendo te conhecer
Que você sinta meus braços em sua volta, sentir meus braços em sua volta
Como o mar em volta da praia
Toda noite eu rezo
E espero que eu possa te encontrar
E espero que eu possa te encontrar
Por que o coração não pode mais

Isso sempre acaba em uma coisa, querida
Eu ainda estou de joelhos no chão

Como eu posso te dizer que eu te amo? eu te amo
Mas eu não consigo pensar nas palavras certas pra dizer
e eu quero te dizer que eu estou sempre pensando em você
Estou sempre pensando em você

Isso sempre acaba em uma coisa, querida
E eu não consigo pensar nas palavras certas pra dizer

sábado, 6 de agosto de 2011

Definitivo




Definitivo, como tudo o que é simples. 

Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. 



Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade. 




Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar. 




Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. 




Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. 




Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar. 




Por que sofremos tanto por amor? 

O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz. 



Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: 




Se iludindo menos e vivendo mais!!! 

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. 



A dor é inevitável. 

O sofrimento é opcional...


(Carlos Drummond de Andrade)

Tua caminhada



Tua caminhada ainda não terminou....
A realidade te acolhe
dizendo que pela frente
o horizonte da vida necessita
de tuas palavras
e do teu silêncio.

Se amanhã sentires saudades,
lembra-te da fantasia e
sonha com tua próxima vitória.
Vitória que todas as armas do mundo
jamais conseguirão obter,
porque é uma vitória que surge da paz
e não do ressentimento.

É certo que irás encontrar situações
tempestuosas novamente,
mas haverá de ver sempre
o lado bom da chuva que cai
e não a faceta do raio que destrói.

Tu és jovem.
Atender a quem te chama é belo,
lutar por quem te rejeita
é quase chegar a perfeição.
A juventude precisa de sonhos
e se nutrir de lembranças,
assim como o leito dos rios
precisa da água que rola
e o coração necessita de afeto.

Não faças do amanhã
o sinônimo de nunca,
nem o ontem te seja o mesmo
que nunca mais.
Teus passos ficaram.
Olhes para trás...
mas vá em frente
pois há muitos que precisam
que chegues para poderem seguir-te.





"Cada um tem de mim exatamente o que cativou, e cada um é responsável pelo que cativou, não suporto falsidade e mentira, a verdade pode machucar, mas é sempre mais digna. Bom mesmo é ir a luta com determinação, abraçar a vida e viver com intensidade. Perder com classe e vencer com ousadia, pois o triunfo pertence a quem mais se atreve e a vida é muito para ser insignificante. Eu faço e abuso da felicidade e não desisto dos meus sonhos. O mundo está nas mãos daqueles que tem coragem de sonhar e correr o risco de viver seus sonhos."

(Charles Chaplin)



"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade"


(Carlos Drummond de Andrade )

Se alguém te procurar



SE ALGUÉM TE PROCURAR... COM FRIO...
É PORQUE VOCÊ TEM O CALOR

COM ALEGRIA...
É PORQUE VOCÊ TEM O SORRISO.

COM LÁGRIMAS...
É PORQUE VOCÊ TEM O LENÇO.

COM VERSOS...
É PORQUE VOCÊ TEM A MÚSICA.

COM DOR...
É PORQUE VOCÊ TEM O CURATIVO.

COM PALAVRAS...
É PORQUE VOCÊ TEM A AUDIÇÃO.

COM FOME...
É PORQUE VOCÊ TEM O ALIMENTO.

COM BEIJOS...
É PORQUE VOCÊ TEM O MEL.

COM DÚVIDAS...
É PORQUE VOCÊ TEM O CAMINHO.

COM ORQUESTRAS...
É PORQUE VOCÊ TEM A FESTA.

COM DESÂNIMO...
É PORQUE VOCÊ TEM O ESTÍMULO.

COM FANTASIAS...
É PORQUE VOCÊ TEM A REALIDADE.

COM DESESPERO...
É PORQUE VOCÊ TEM A SERENIDADE.

COM ENTUSIASMO...
É PORQUE VOCÊ TEM O BRILHO.

COM SEGREDOS...
É PORQUE VOCÊ TEM A CUMPLICIDADE.

COM TUMULTO...
É PORQUE VOCÊ TEM A CALMA.

COM CONFIANÇA...
É PORQUE VOCÊ TEM A FORÇA.

COM MEDO...
É PORQUE VOCÊ TEM A CORAGEM!!!

E É PRECISO MUITO AMOR...
PARA SER AMIGO DE VERDADE...
ASSIM, TENHA CERTEZA DE QUE NINGUÉM...
CHEGA ATÉ VOCÊ POR ACASO!!

VOCÊ É MUITO ESPECIAL!!!


(autor desconhecido)

domingo, 31 de julho de 2011

Beijo







Ofereço-te um beijo
Na testa...
na ponta do nariz....
na bochecha...
Nos lábios que tocam no teu coração
E umedecem teus sentidos!




JDM – 13/04/2010 – 19h36

Eis-me aqui...



Vim...
Sem pudor...
Vestida apenas de ti!



JDM – 10/04/2010 – 00h25

Chuva



Chuva escorre pelo meu corpo
Lágrimas escorrem pelo meu rosto
Minha vida escorre por entre meus dedos.





JDM – 03/04/2010 – 22h10

Toque do prazer



No simples toque de tuas mãos
Sinto todo teu prazer
A transpirar pela minha pele.




JDM – 03/04/2010 – 22h04






"Sou como remédio:

respeite a dose e serei a cura;

exceda a dose e serei seu pior veneno."


(autor desconhecido)





Amor









"O amor é a única loucura de um sábio e a única 


sabedoria de um louco."


                                       
                                           (William Shakespeare)

domingo, 24 de julho de 2011

Teu abraço



No teu abraço
Me senti segura
Me senti acalentada

Teu abraço
Foi melhor do que todos
Foi melhor do que todas as palavras proferidas

Em teus braços
Deixei-me levar
No teu abraço
Me fiz mulher
Teu abraço
Foi o meu porto seguro.



JDM – 20/03/2010 – 22h35

Motivo



...tudo na vida tem motivos... 
mas para esta dor que estou sentindo tem motivos?....
estar rodeada de amigos sinceros, 
mas estar sentindo-se só e desesperada, tem algum motivo?...
eis um enigma a ser decifrado, 
ou a esfinge que tem dentro de mim 
devorará o que ainda resta de belo e singelo.




JDM - 16/03/2010 - 13h02

Um segundo



Amei-te por um segundo
Neste segundo, pude ver toda a tua existência
Doei-me, sem nada pedir em troca
Mas foste embora, no segundo seguinte.
Ficou a lembrança do segundo eternizado
Do amor sem intenções e sem barreiras.



JDM – 13/03/2010 – 17h50